Para especialistas, a humanização no ambiente hospitalar é fundamental para o tratamento de crianças
Com inauguração agendada para o dia 29 de setembro, a nova unidade de atendimento pediátrico de urgência e emergência 24 horas do Hospital Salvador recebe, desde as suas instalações, um ambiente preocupado com a humanização da assistência. A ambientação com temas infantisFOTO HS promove no pequeno paciente o sentimento de identificação com o espaço, propiciando maior familiaridade e auxiliando no seu tratamento e processo de melhora.

Na emergência pediátrica do Hospital Salvador, a humanização se dá desde a entrada, com uma comunicação visual atraente, inspirada com temáticas de céu e imagens alegres de crianças. A brinquedoteca possui vídeo game e brinquedos educativos, que distraem a criança, enquanto são assistidas pela equipe de profissionais de saúde. Tudo preparado para que as crianças tenham uma assistência e sintam-se mais tranquilas, transformando a experiência de dor em uma passagem divertida pelo hospital.

Para o diretor médico do Hospital Salvador, Flávio Costa Pereira, pequenas ações de ambientação e humanização do atendimento podem contribuir de modo significativo na melhoria do paciente. “Dentro do ambiente hospitalar, a criança, que normalmente encontra-se com dor ou desconforto, tende a se sentir insegura e desprotegida, pois ela encontra-se fora do lar e longe das pessoas e objetos que são sua referência. No momento em que ela se identifica com o espaço e encontra coisas que ela gosta, a visão que ela passa a ter daquele ambiente muda, o que influencia no seu comportamento e reflete como melhor resposta no tratamento”, diz ele.

Como impactos positivos, a humanização promove a mudança das posturas, formas e políticas de atendimento; possibilita maior transparência na conduta dos profissionais frente ao acompanhamento da família do paciente, estimulando também o diálogo; busca, constantemente, maior valorização e comprometimento de todos os profissionais envolvidos; aumenta a rotatividade dos leitos diante da diminuição do tempo de internação; reduz filas e tempo de espera, com ampliação do acesso; incentiva a prestação de um atendimento acolhedor e resolutivo baseado em critérios de risco; garante os direitos dos pacientes e permite a todos a prática do princípio que mais deve ser valorizado no atendimento: o cuidado e amor à criança.